Mau Hálito: Curiosidades Gerais

Mau hálito ou halitose é sempre um sinal ou sintoma e não uma doença. Pode ser consequência de alterações fisiológicas e/ou patológicas, ou mesmo de processos orgânicos ou adaptativos. É caracterizada pela eliminação de odorivetores (gases voláteis) mal-cheirosos capazes de sensibilizar as células do olfato.

 O mau hálito nunca ocorre de forma isolada e sim devido a um somatório de fatores. As evidências mostram que mais de 90% das causas da halitose têm repercussão bucal. As principais são: alterações de quantidade e/ou qualidade da saliva, saburra lingual, problemas periodontais (inflamações na gengiva, tártaro, supuração…), dentre outros.

 Entretanto, o mau hálito também pode sofrer influência ou mesmo ser causado por problemas sistêmicos, como alterações otorrinolaringológicas, diabetes, infecções em geral, baixa taxa de glicose (hipoglicemia), desidratação, estados de febre, problemas intestinais graves, refluxo gastroesofágico, alterações das taxas de gordura (dislipidemias), alterações hepáticas (fígado), renais (rins), doenças auto-imunes…

 Há ainda fatores fisiológicos e hábitos que contribuem para a ocorrência desse problema, destacando-se: má-higiene, baixo consumo de água, jejum prolongado, dietas descontroladas, má-alimentação, fumo, uso de drogas, ingestão de álcool e uso de medicamentos com enxofre na composição ou que causem ressecamento bucal intenso ou que acelerem a queima de gordura.

 O paciente que apresenta Halitose busca o tratamento odontológico na expectativa de resolver seu problema, mas muitas vezes o constrangimento o impede de dizer ao dentista o verdadeiro motivo de sua consulta. Além disso, os próprios dentistas evitam fazer algum tipo de comentário sobre isso, por inexperiência, despreparo ou mesmo receio da reação do paciente.

 Mau hálito não escolhe idade, sexo, condição social ou religião, podendo acometer qualquer indivíduo de forma indiscriminada e é muito mais comum do que se pensa. Segundo pesquisas da Associação Brasileira de Halitose (ABHA), mais de 30% da população brasileira atualmente é portadora desse problema e esse número vem crescendo a cada dia.

Esse problema não afeta apenas a saúde bucal, mas sim, a saúde geral do paciente. Quando é decorrente de alterações patológicas exige o tratamento da doença para que esse sintoma possa, então, desaparecer. Nesses casos, muitas vezes o hálito alterado é um sinal que algo está em descontrole no organismo.

Suas consequências emocionais também são fatores muito importantes. O mau hálito, com certeza, deve ser considerado um grave problema social! Seu portador é afetado em vários aspectos de sua vida:  profissional, social, emocional, familiar, íntimo, afetivo, abalando seus relacionamentos e alterando, muitas vezes, seu padrão de comportamento. Ter halitose gera tendência ao isolamento, frustração, insegurança, queda de auto-estima e até mesmo problemas mais graves como depressão, ansiedade, neurose e tendências suicidas.

Artigo Mau Hálito Curiosidades Gerais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>