Campanha irá combater tabus – Diário do Nordeste

Lamber o pulso, cheirar o fio dental e soprar na mão não são maneiras eficazes de descobrir se você tem ou não mau hálito. O olfato é preparado para que a pessoa se acostume com o próprio cheiro, deixando de perceber o problema. A única forma de saber se você sofre de halitose é perguntar a uma pessoa que confie, ou a uma criança, que em geral não tem vergonha de dizer a verdade. Basta ficar a um palmo de distância.

Feito isso, o próximo passo é procurar um cirurgião-dentista (CD) capacitado em pelo menos um dos três cursos próprios sobre Halitose, oferecidos em São Paulo, Brasília e Salvador. De acordo com a CD Dra Daiane Rocha, este profissional vai responder a um questionário com seis páginas de perguntas que vão nortear o tratamento e identificar a causa do mau hálito. O paciente também testa o hálito em um aparelho chamado halímetro e testa o pH da boca, para saber o nível de acidez.

Só assim será possível dar dicas mais eficientes sobre que hábitos manter no dia-a-dia e quais são prejudiciais e contribuem para o mau cheiro bucal. “Só não há cura quando as glândulas salivares são afetadas de forma irreversível, a exemplo de pacientes que passam por quimioterapia. Mesmo assim, dá para controlar. É bom saber, ainda, que as amígdalas não têm nada a ver com o mau hálito, sendo inútil sua extração como forma de tratamento”, afirma.

ALIMENTOS – De modo geral, é bom evitar o consumo excessivo de bebidas alcóolicas, refrigerantes, cigarro e similares, que ressecam a boca. O efeito nocivo de leite e derivados, como iogurte e requeijão, pode ser evitado trocando os pasteurizados pelos “lights” e queijos brancos, menos gordurosos que os amarelos. Assim menos gordura vai se depositar na saburra lingual. Evitar comer à noite salames, defumados, salsichas, mortadelas.

O mesmo vale para comidas condimentadas e gordurosas em geral, como azeitona, maionese, achocolatados, enlatados e frios. No caso do café, uma boa opção é não tomar muito quente e evitar tomá-lo puro. Troque por capuccino ou misturado com leite. Tomar de preferência após as grandes refeições, especialmente almoço, quando há maior produção de saliva.

“Se for a um churrasco, no dia anterior tome bastante água e, após, coma uma maçã e tome dois copos de água antes de dormir, para ajudar a limpar a língua das proteínas e gorduras da carne, que serão alimento para as bactérias presentes na boca”, explica Dra Daiane.

Na lista dos alimentos que devem ser evitados ou ingeridos com precaução, estão, ainda, alho, cebola, picles, couve, brócolis, repolho, ovos, alcachofra, açúcar em excesso, chá preto, chá mate, sardinha ou atum, alimentos dietéticos e proteína animal, especialmente a carne vermelha.

CAMPANHA – Para conscientizar a população de que existem soluções, formas de prevenção e ajudar a distinguir o que é tabu e o que é verdade, foi criado, há seis anos, o Dia Nacional de Combate ao Mau Hálito, em 22 de setembro. Neste dia haverá uma campanha em nível nacional, envolvendo 15 profissionais, em Fortaleza. Eles ficarão de plantão, na Praça do Ferreira, de 8 às 18 horas, esclarecendo dúvidas e distribuindo folhetos.

SERVIÇO: Informações: ABPO-CE pelo (85)264.8060 ou www.abpo-ce.com.br 

fonte: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=189695

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>